Viver bem e melhor, segundo a Antroposofia

Dicas de saúde segundo a Antroposofia

Aqui vão algumas dicas para quem quer viver mais e melhor! Cuide bem desse precioso recurso que é a sua saúde. Para orientações individualizadas procure o seu médico antroposófico.

O primeiro setênio é fundamental, pois é quando as forças vitais estão trabalhando profundamente no corpo infantil, que multiplica em muitas vezes seu tamanho inicial, desde o nascimento. Assim, a primeira dica é adotar o aleitamento materno. O leite materno, além de ser o mais específico e equilibrado, contém as forças etéricas protetoras da mãe e reforça o vínculo de afeto tão essencial nessa fase. Em torno dos sete anos as forças vitais se metamorfoseiam em forças do pensar e a criança fica pronta para um aprendizado lógico.

Devemos evitar que essas forças sejam desviadas de seu trabalho sobre o corpo nos primeiros anos de vida, antecipando a intelectualização das crianças. Uma alfabetização precoce ou dirigida erroneamente desvia as forças etéricas do corpo para o “pensar”. Como conseqüência, futuramente podemos ter adultos desvitalizados e que adoecem facilmente. Durante o primeiro setênio é importante sentir que o mundo é bom: calor, nutrição, favorecer o desenvolvimento neuropsicomotor através de brinquedos pedagógicos, de histórias, muitas brincadeiras e fantasias. Assim, tudo que pudermos fazer para proteger e fortalecer essas forças vitais durante o começo da vida significará um trabalho preventivo para a saúde até o último setênio.

Ritmo: Nosso corpo vital ou etérico, a nossa parte planta (vide “Quadrimembração” nesta seção) precisa de um ritmo bem de funcionar adequadamente. É importante criar ritmos diários, semanais e até anuais, equilibrando o sono necessário com as atividades diurnas, o trabalho com os períodos de descanso e lazer, os períodos de trabalho externo com períodos de atividades em casa. O nosso sistema rítmico trabalha forçado e pode adoecer quando vivemos de maneira caótica e acelerada.

Calor: Procure conservar o calor do corpo, especialmente nos pés, abdome, pescoço e costas. O nosso Eu atua através do calor corporal ativando nosso sistema imunológico, o funcionamento hormonal e metabólico. Mesmo vivendo em um país tropical como o Brasil, precisamos observar esse cuidado com a saúde, especialmente com roupas que expõem muito o corpo. Sabe-se hoje que o calor corporal é um grande aliado na prevenção do câncer e de muitas outras doenças crônicas. Faça escalda-pés com água bem aquecida, quando sentir que eles estão muito frios ou coloque uma bolsa com água aquecida sobre a região do abdome antes de dormir.

Movimentos: Nós precisamos de movimento tanto quanto de sono ou boa alimentação. O ideal é buscar atividades que respeitem nossa constituição física, idade e gosto pessoal, sem sobrecarregar o aparelho músculo-esquelético e o sistema cárdio-respiratório. Uma orientação especializada pode ser necessária. Caminhar é um ótimo exercício, mas outras atividades também podem e devem estar presentes, como nadar e dançar. O intuito aqui não é a busca neurótica da sociedade contemporânea por “manter a forma”, mas sim, vivenciar o prazer do movimento – natural para o corpo. Se essas atividades podem ser desfrutadas próximo à natureza, como praças, parques, praias ou campo, melhor ainda.

Alimentação: Procure fazer as refeições sempre nos mesmos horários, variando o cardápio para evitar a monotonia alimentar. O corpo etérico da Terra nos presenteou com uma enorme variedade de legumes, verduras, cereais e frutos. A planta também é trimembrada em raiz (neurossensorial), folhas (rítmico) e frutos/flores (metabólico). Dê preferência aos produtos orgânicos ou biodinâmicos. Coma carnes e enlatados com moderação. Hoje já conhecemos amplamente os malefícios provocados por agrotóxicos, hormônios e medicamentos adicionados aos produtos animais. O nosso estômago não tem relógio, mas nosso corpo tem um ritmo próprio, conhecido com “circadiano”, que regula o pico de atividade de cada órgão. Assim, a nossa vesícula biliar está mais ativa pela manhã, até as três horas da tarde – nesse período, ela ajudará na digestão de alimentos “mais pesados”, ricos em gorduras. Em contrapartida, o fígado está mais ativo depois das três da tarde, quando assimilará melhor os alimentos doces.

Cultivo do sentir através de relações harmoniosas e de atividades artísticas: o nosso sistema rítmico, especialmente o nosso coração anímico, precisa ser alimentado com bons sentimentos acerca da vida (esperança, confiança, tranqüilidade, solidariedade e alegria) para que possa manter nossa saúde em equilíbrio. Precisamos exercitar nossa criatividade e vivenciar a beleza da vida, freqüentemente possível através de atividades artísticas (música, pintura, desenho e trabalhos manuais). Momentos simples de troca afetiva como o que passamos com as pessoas queridas ou de contemplação da natureza também alimentam o nosso coração.

Cultivo da vida espiritual: nosso Eu, nossa parcela mais sutil e individual, precisa ser alimentada, tanto quanto nosso corpo. Algumas pessoas encontram o caminho para essa relação com a sua essência espiritual através de uma vivência religiosa regular ou de meditações. Para outras pessoas, a contemplação da natureza, a música ou as artes plásticas são também formas de alimentar o espírito.


Acesse a ABMA – Associação Brasileira de Medicina Antroposófica  para mais informações:  www.abmanacional.com.br 

 





Deixe um comentário